Como cuidar de rosa do deserto: veja dicas essenciais

Ter flores e outras plantas em casa dá um toque diferente e mais alegre ao ambiente. Algumas são mais fáceis de cuidar enquanto que outras exigem um pouco mais de cuidado. Mas você sabia que deve levar em conta também se tem crianças e animais de estimação em casa?

Existem plantas – que dão flores – que são lindas e você com certeza vai querer cultivá-las, no entanto podem ser venenosas e um risco para crianças pequenas ou animais de estimação que acabam entrando em contato.

Você está pensando em ter uma rosa do deserto em casa? Essa planta tem feito sucesso e dá belas flores – além de lidar bem com variações climáticas. Descubra tudo o que você precisa saber para cultivar rosas do deserto em casa!

Por que tê-las?

Nesse momento você pode estar se perguntando por que ter uma rosa do deserto. A verdade é que mesmo os mais inexperientes ou que tem algumas inseguranças quanto ao cuidado com plantas vão gostar dessas flores.

Elas são únicas, possuem uma floração bastante exuberante, uma boa variação de cores, raízes esculturais e alta resistências. Essas plantas resistem bem as variações climáticas e ao excesso ou falta de água.

Apesar de serem nativas da África e poderem chegar até 4 metros de altura, se você não tem muito espaço em casa pode apostar nas versões anãs, vendidas como bonsais.

Ou seja, são perfeitas para quem ainda está começando a aprender a cuidar de plantas!

Vaso ideal / substrato

Na hora de escolher o vaso para as rosas do deserto, o principal cuidado a se levar em conta é que as raízes vão crescer e ocupar espaço. Ou seja, não deixe a planta em um vaso muito pequenino. Os vasos plásticos também não são indicados, já que quando a planta crescer pode pesar e virar.

Aposte nos modelos de cerâmica, mas lembre que precisa ser espaçoso para a rosa do deserto! Não se esqueça que é preciso que ele tenha uma boa drenagem. Apesar de serem plantas resistentes, se ficarem muito tempo com as raízes molhadas vão acabar apodrecendo.

Outra dica importante para o vaso: É preciso que seja mais raso. Se você a plantar em um vaso mais fundo o caule não vai se desenvolver tanto, ficando menos grosso.

Quanto ao substrato a ser colocado no vaso, antes de inserir seu conteúdo você deve colocar uma camada de areia e pedras, uma tela e húmus de minhoca. A ideia é evitar que as raízes saiam pela parte de baixo no vaso.

Terra adubada misturada com areia é substrato perfeito para a rosa do deserto. É bastante drenante – ou seja, não vai acumular água – e possui os nutrientes essenciais para a planta. Ainda assim, exatamente por causa dessa capacidade de eliminar água, você terá que adubar a terra de vez em quando, deixando o substrato ideal.

Dica extra: Nada de prato embaixo do vaso. Essas plantas não gostam de água acumulada perto de suas raízes.

Exposição ao sol / temperatura

A rosa do deserto gosta de sol, tanto que pode ser considerada exigente quanto a iluminação. Você pode cultivá-la a meia sombra, mas saiba que ao menos 6h de exposição ao sol são necessárias para que a planta floresça corretamente.

Quanto a temperatura, essas flores não gostam de frio. Apesar de poderem ficar expostas a dias mais gelados, a planta fica dormente, deixa de florescer ou suas flores acabam caindo. Se você vive em regiões mais geladas, regue a planta com menos frequência e pense na possibilidade de transferí-la para uma pequena estufa durante o inverno.

A temperatura ideal para a planta é quente e com baixa umidade. Por isso é indicado deixá-la em um local que bate sol com frequência e evitar salas com ar condicionado ou ambientes mais úmidos.

1. Rega

Apesar de terem “deserto” em seu nome, isso não significa que essas flores não precisam receber água. Elas não gostam do exagero – aí a importância de um vaso e substrato com boa drenagem –, mas precisam ser regadas!

Em média duas a três regas semanais são suficientes, nas estações mais quentes do ano. Ainda assim, preste atenção a alguns sinais que a planta dá. Aperte seu caule (chamado de caudex) antes de regar. Se estiver murcho, sua rosa do deserto está precisando de água.

Para garantir, aperte outras partes do caule. Pois caudex murcho em apenas uma região indica que as raízes podem estar apodrecendo.

Dica importante: Regue sua rosa do deserto, mas sem exageros! Cuidado com o excesso de água. Colocou um pouco demais? Aumente o espaçamento entre as regas para 3 a 4 dias.

2. Poda / floração

Você tem certo receio quanto as podas? Com a rosa do deserto não há o que se preocupar. Inclusive, as podas são muito bem-vindas. Corte galhos e flores para dar forma a planta e estimular a floração, caso ainda não tenha ocorrido.

No entanto, foque em podar sua planta apenas com o intuito de lhe dar forma. Para estimular a floração é mais interessante melhorar o substrato e até mesmo investir em uma adubação mais frequente. A pode com intuito de fazer a rosa do deserto florir deve ser utilizada apenas como última opção.

Se mesmo após troca do substrato, mudança nas regas, adubação e aumento da iluminação – lembre-se que a falta de exposição ao sol também prejudica a floração – a planta não florir, faça a pode para estimular o aparecimento das flores.

Outras recomendações

Algumas dicas são importantes para ajudar no cultivo da rosa do deserto:

1. Prestar atenção aos sinais de podridão

Às vezes pode acontecer de você errar nos cuidados com sua rosa do deserto. Acabar exagerando nas regas ou deixá-la em um ambiente muito úmido. Quando isso ocorre, a planta começa a apodrecer suas raízes, mas se você prestar atenção aos sinais ainda poderá salvá-la.

Sempre aperte o caudex antes de regar e veja se há apenas uma parte mole. Repita esse processo no dia seguinte após a rega. Se mesmo após receber água o caule segue amolecido, é hora de verificar as raízes.

Retire sua planta do vaso e corte todos os pedaços da raiz que apodreceram. Use uma colher para essa tarefa. Em seguida pendure a planta em um local com sombra. Ela deve ficar de cinco a seis dias assim, para que qualquer sinal de podridão seja resolvido.

Passado esse período, plante novamente em outro vaso, com um novo substrato e inicie deixando a rosa do deserto à sombra nos três primeiros dias. Aos poucos vá deixando-a exposta ao sol.

2. Manusear com luvas

A seiva da rosa do deserto é tóxica. Sempre que você for fazer podas ou até mesmo manusear a planta, use luvas para proteger as mãos. Assim você evita alergias e outros problemas de pele.

3. Evitar contato com crianças e animais domésticos

Essa não é uma planta ideal para ficar perto de crianças pequenas e animais de estimação. Isso não significa que você não deve cultivá-la, mas sim mantê-la longe das crianças e dos pets.

O motivo está ligado a seiva tóxica. Crianças e animais podem acabar mexendo na planta e até mesmo comendo algum de seus pedaços. Assim, deixe-a no alto para evitar qualquer acidente.

Recomendado para você